20 de setembro de 2015

A minha mente é uma máquina do tempo


Sou uma pessoa que associa, maioritariamente dos casos involuntariamente, músicas, cheiros, palavras a momentos e pessoas. Se ouço uma música numa determinada altura ou situação, sei que um dia mais tarde ela se traduzirá nesse mesmo momento. Músicas fazem-me lembrar pessoas e muitas histórias para contar. Assim como os cheiros. É difícil de explicar, mas associo muito os perfumes que uso a situações concretas. Hoje, por exemplo, aconteceu-me exatamente isso, viajei um bocadinho ao passado quando ia no carro e passou no rádio uma música que me fez lembrar o final do meu 12º ano. É por essa razão que deixamos de gostar das músicas ou então passamos a adorá-las, pela associação que lhes damos a amigos, familiares e pessoas que se cruzam connosco, ou a um simples momento passado que de alguma forma nos marcou.

Sei que este facto das músicas acontece a toda a gente, não é nada de novo. Mas e os cheiros? Acontece com vocês também? Ontem à noite estava a arrumar o móvel do meu quarto onde guardo os meus perfumes - ou os frascos já vazios - e dei por mim a cheirar um frasco que se refere ao perfume que usava no Inverno passado. A minha mente voou logo. É instantâneo.  É curioso a facilidade que eu tenho de passear no tempo com pequenas coisas que à primeira vista parecem tão insignificantes. Eu atribuo significado a tudo e considero esse um facto que já me é inerente. 

5 comentários:

  1. Eu também sou assim, para mim tudo tem um significado.

    ResponderEliminar
  2. Os cheiros acontece-me e muito, talvez até mais que com as músicas! :)

    ResponderEliminar
  3. Eu não sou nada assim, associo muito musicas e locais a pessoas e momentos, mas cheiros... só o das farturas às feiras populares xD

    ResponderEliminar
  4. Mudei o url do blog e provavelmente os meus posts não vão aparecer no teu feed, se quiseres continuar a ver no painel tens que deixar de seguir e seguir de novo... Obrigada e desculpa pelo incómodo!

    ResponderEliminar